Siga-nos

Brasil

658

Tempo estimado para a leitura: 6minuto(s) e 2segundo(s).

Em meio ao terror, brasileiros relembram atentados que marcaram 2017

estilo.online Redação

Publicado

em

Em um 2017 marcado por ataques terroristas em diversos países, brasileiros acabaram se tornando personagens de histórias ligadas à violência, morte e ódio. Nos mais de mil atentados registrados ao longo do ano, em dois deles brasileiros ficaram feridos ou escaparam por muito pouco de tragédias certas.

Em 17 de agosto, um terrorista atropelou centenas de pessoas com uma van em Las Ramblas, famoso ponto turístico de Barcelona, na Espanha. Ao menos 15 pedestres foram mortos e outras 130 pessoas ficaram feridas.

Luiz Fernando Simões foi uma delas. “Naquele dia eu havia acabado de almoçar em Las Ramblas. Estava voltando para casa na hora que vi o tumulto e a correria. Vi que havia passado um carro ali, mas nem me dei conta. Estava com a cabeça longe, eu iria viajar naquele mesmo dia para Paris”, contou o brasileiro que viajava à Europa a trabalho.

No mesmo dia, cinco homens suspeitos de organizar um novo massacre foram mortos por policiais na cidade de Cambrils. Eles foram ligados à morte de uma mulher, elevando para 16 o número de mortos na ação terrorista na Catalunha.

“Depois de perceber aquela turma correndo eu ainda saquei o telefone e tirei umas fotos de pessoas sangrando. A princípio achei que tivesse sido briga ou algo parecido. Só depois veio a notícia de que havia sido um atentado”, explica o comerciante.

Apesar de não ser atingido pela van dos terroristas, o brasileiro se feriu durante o tumulto. “Ao invés de fugir de lá, eu corri na direção do ataque. Afinal meu hotel ficava muito perto, uns 30 metros. Quando entrei numa esquina já vi uma senhora no chão e caí por cima dela”, continuou.

Principal suspeito pelo ataque em Las Ramblas, Moussa Oukabir, de 17 anos, foi um dos abatidos pelas autoridades. A polícia francesa seguiu procurando outro apontado pelo atropelamento, o marroquino Younes Abouyaaqoub. Outros três marroquinos e um espanhol foram detidos pelas autoridades nas cidades de Ripoll e Alcanar após os incidentes.

“Vi muitas viaturas, muita polícia. Após o tombo, fui em direção ao hotel na esperança de pegar minhas malas, tomar um banho e seguir viagem. Algumas horas depois sentei em uma praça e percebi que que não conseguiria viajar. Estava tudo interditado pela polícia e percebi que meu pé e minha perna estavam inchados. Chamei um policial, expliquei que estava próximo ao ataque e ele rapidamente chamou uma ambulância”, conta Simões.

Segundo a polícia francesa, nenhum dos suspeitos tinha antecedentes ligados a grupos terroristas. Ainda assim, o Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque na Catalunha.

Luiz Fernando passou uma noite no hospital em Barcelona antes de receber alta. No dia seguinte, ele já notou a diferença de ares na cidade catalã. “Era um silêncio muito grande nas ruas. Todos estavam visivelmente tristes”, relatou.

“O sentimento é de revolta. É uma judiação o que aconteceu. Eu sempre acredito que o mal nunca vai vencer o bem. São um bando de covardes. Eu adorei a Espanha, vou voltar se Deus quiser, fui muito bem tratado e não tem nem o que falar dos catalães. Não tenho mágoa com o país, só achei muita covardia deles [terroristas]. Eles estão em todos os lugares, Estados Unidos, Londres. Então o mundo está virado, tem que ter mais Deus no coração. Está nas mãos dele”, completou o brasileiro.

Las Vegas


Meses depois foi a vez dos Estados Unidos serem alvo de outro ataque extremista. No dia 1º de outubro, o norte-americano Stephen Paddock, de 64 anos, abriu fogo da janela do 32º andar do cassino e hotel Mandala Bay contra uma multidão que participava de um festival de música country.

Outro brasileiro por muito pouco não esteve no meio do público alvo do atirador. O curitibano Nicholas Micaloski tentou comprar ingressos dias antes para o show, mas não conseguiu. Segundo o rapaz, era possível ouvir os tiros vindos do Mandala Bay.

Micaloski afirmou estar 20 minutos a pé do cassino quando o massacre teve início. “Quando sai do Mandalay Bay, tomei o trem (existe um pequeno trem que liga os hotéis Mandalay Bay, Luxor e Excalibur) e desci no Luxor. Fiz um vídeo que mostrava até a janela de onde logo após foram realizados os disparos e também o palco do festival”, contou.

“Quando saí do hotel New York New York já haviam acontecido os disparos e vi umas duas pessoas correndo em direção contrária. Mas não achei estranho no primeiro momento. Vi de longe já luzes de carros de polícia e fui até a esquina verificar, onde já estava interditado pela polícia. Como eu não sabia o que houve, fui olhar o Twitter e descobri que havia um atirador no 32º andar do Mandalay Bay”, continuou Nicholas.

O Route 91 Harvest Festival ocorria ao ar livre no momento do ataque. Com ao menos 19 rifles, o atirador matou 59 pessoas e feriu outras 400, muitas delas com gravidade. Antes da chegada dos policiais no seu quarto, ele se suicidou.

De acordo com as autoridades, o autor agiu sozinho. Entretanto, o Estado Islâmico reivindicou o ataque horas depois afirmando que o norte-americano havia se convertido ao islamismo e se aliado ao grupo meses antes.

Curioso sobre o que estava acontecendo, o brasileiro tentou chegar mais perto. Ao se aproximar, viu policiais e pessoas sangrando em pânico. Em seguida, um grupo de pessoas afirmou ter visto um segundo atirador armado dentro do New York New York.

“Nisso todo mundo, inclusive eu, saiu correndo para baixo, na esquina onde estavam os policiais, e ficamos abaixado atrás das muretas. Após alguns minutos, vários policiais pularam a grade de proteção da rua para a calçada e foram para dentro do hotel. Alguns policiais ficaram atrás dos carros de polícia, igual em filmes, mirando as armas para o hotel. Enquanto isso várias viaturas chegando naquela esquina e vários carros saindo, muitos deles até sem a inscrição de Polícia, mas com sirenes”, relata Nicholas.

De acordo com as autoridades, o autor agiu sozinho. Entretanto, o Estado Islâmico reivindicou o ataque horas depois afirmando que o norte-americano havia se convertido ao islamismo e se aliado ao grupo meses antes.

“Algo bem assustador, parecia outra cena de filme”, explicou o brasileiro. Após a ação de Paddock, a vigilância em Las Vegas mais que dobrou. Tudo pelo temor de um segundo ataque ocorrer a qualquer minuto.

Hóspedes e civis que se abrigaram em outros hotéis durante o tiroteio foram impedidos de sair enquanto não recebessem sinal positivo das autoridades. Passada uma hora, a polícia liberou Nicholas do hotel onde estava. “Acompanhei um grupo de pessoas que também estava saindo. Neste momento pude ver Las Vegas como nunca vi antes. A rua estava totalmente deserta. Algo que nunca pensei que viria em Las Vegas, que segundo o que já li, tem a rua mais movimentada do mundo”, lembra o brasileiro.

Segundo o curitibano, nos dias seguintes ao ataque a cidade não foi a mesma. Diversas atrações turísticas como o show das águas do Bellagio foram fechadas. Além disso, como a rua principal ficou fechada por quatro dias, o trânsito nos arredores ficou caótico.

“Entretanto não me senti inseguro. Para ser bem sincero, desde o momento do atentado eu sentia medo, obviamente, mas não me sentia inseguro devido ao número de policiais que vi, as táticas que utilizavam e o forte armamento”, completou.

“Obviamente que eu estava apenas na borda do acontecimento, com certeza quem estava no festival e presenciou os tiros na sua frente foi algo muito pior. Mas só de ver as cenas que vi, a pessoas sangrando, os policiais por toda Las Vegas, já é algo que me fez pensar como uma coisa dessa é tão grande e marcante”, encerrou Nicholas.

0
0
Clique para comentar
Publicidade

Política

BNDES divulga lista de 134 compradores de jatinhos da Embraer

Luciano Huck e Michael Klein, das Casas Bahia, aparecem na lista

estilo.online Redação

Publicado

em

Com a justificativa de que pretende ser mais transparente, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou na noite desta segunda-feira, 19, uma lista de 134 compradores de jatinhos da Embraer que contrataram financiamento no período de 2009 a 2014, durante o governo petista. Entre eles está o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que, por meio da Doria Administração de Bens, financiou uma aeronave de R$ 44 milhões em 2010.

A lista inclui também R$ 17 milhões liberados para empresa do apresentador de TV Luciano Huck, a Brisair, em 2010, e mais R$ 39,7 milhões, em 2009, para a JBS, denunciada na Operação Lava Jato, da Polícia Federal. O maior valor, de R$ 77 milhões, foi contratado em 2013 pela CB Air Taxi Aéreo, do empresário Michael Klein, das Casas Bahia. Em seguida aparece a Brasil Warrant Administradora de Bens, que em 2013 financiou R$ 75,5 milhões. Essa empresa, uma das sócias da Alpargatas e atuante no segmento agropecuário, pertence à família Moreira Salles, sócia do banco Itaú Unibanco.

Com a divulgação da lista, o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, cumpre promessa feita pelo presidente Jair Bolsonaro na quinta-feira, 15, em transmissão ao vivo nas redes sociais. O presidente disse que revelaria quem comprou jatinhos com recursos do banco estatal, ao “abrir a caixa-preta” da instituição. “O anúncio vai expor gente que está dizendo que estamos no último capítulo do fracasso”, disse o presidente, numa referência a Huck, que, um dia antes, durante um debate em Vila Velha (ES) usou essas palavras para criticar o governo federal.

Em nota divulgada em seu site, o BNDES destacou que a linha de crédito para a compra de jatinhos da Embraer foi criada em 2009, como parte do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Nessa linha eram cobrados juros inferiores à taxa básica de juros, a Selic – de 2,5% ao ano a 8,7% ao ano.

“O custo estimado para o Tesouro Nacional com o subsídio dessas operações foi de R$ 693 milhões em valores corrigidos”, diz a nota do BNDES. O banco informou ainda que as operações foram do tipo indiretas automáticas, uma modalidade de financiamento em que os recursos do BNDES são repassados aos clientes finais por meio de bancos intermediários, que, por sua vez, são os responsáveis pela análise de risco e contratação da operação de crédito.

Outro lado

Em resposta, a secretaria de Comunicação do governo de São Paulo informou em nota que não há irregularidade no financiamento obtido por João Doria. “A Embraer vendeu dezenas de jatos executivos e comerciais para empresas brasileiras e estrangeiras com financiamento do BNDES, gerando empregos e impostos para o Brasil. Nada errado nisto”, diz a nota.

Procuradas por meio de suas assessorias de imprensa, a JBS, a família Moreira Salles, o apresentador Luciano Huck e o empresário Michael Klein não retornaram.

0
0
Continuar lendo

Brasil

Homem sequestra ônibus e faz 31 pessoas reféns na ponte Rio-Niterói (FOTOS, VÍDEOS)

O tráfego na ponte Rio-Niterói em direção ao Rio foi bloqueado devido a um homem fazer passageiros de um ônibus reféns.

estilo.online Redação

Publicado

em

Até o momento, não há informação sobre o que teria provocado a ação do sequestrador. De acordo com a PM, havia 31 reféns, seis deles já foram libertos, sendo quatro mulheres e dois homens.

De acordo com as primeiras informações, o sequestro teria ocorrido pouco antes das 6h desta terça-feira (20), contudo às 6h31, um homem mascarado jogou um objeto em chamas para fora do veículo.

O sequestrador, que aparentemente está desorientado, teria se identificado como um policial militar, ordenou que o motorista encostasse e atravessasse o ônibus na ponte em direção ao Rio, na subida do vão central.

Segundo informações, o sequestrador estaria portando uma arma de choque, uma faca e um revólver calibre 38.

“Temos um homem que se identificou como policial militar. Ele parou o ônibus da [companhia] Galo Branco na ponte Rio-Niterói. Ele está ameaçando jogar gasolina no ônibus, colocando os passageiros em risco. Estamos em negociação com ele para libertar mais reféns, não sabemos qual o real propósito dele”, explicou Sheila Sena, porta-voz da Polícia Rodoviária Federal.

Para realizar as negociações, um telefone celular teria sido enviado de dentro do ônibus para os policiais. A operação está sendo feita por negociadores do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Os atiradores de elite do Bope já estariam posicionados no local.

“Nossa principal missão é tirar os reféns de dentro do veículo e retomar as nossas vidas”, destacou Mauro Fliess, porta-voz da Polícia Militar.

A hipótese de que o sequestro tenha sido premeditado não foi descartada pela PM, de acordo com Fliess.

0
0
Continuar lendo

Brasil

Profissões ligadas à tecnologia serão mais promissoras

As profissões ligadas à tecnologia estarão entre as mais promissoras pelo menos nos próximos cinco anos

estilo.online Redação

Publicado

em

Levantamento feito pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) mostra que as profissões ligadas à tecnologia estarão entre as mais promissoras, pelo menos nos próximos cinco anos. No período, ocupações que têm a tecnologia como base não só motivarão a abertura de novos postos de trabalho como exigirão a requalificação de parte da mão de obra hoje disponível.

Realizado para subsidiar a oferta de cursos da instituição, o Mapa do Trabalho Industrial indica que, até 2023, o Brasil terá de qualificar 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais para fazer frente às mudanças tecnológicas e à automação dos processos de produção.

Segundo o Senai, a demanda por profissionais qualificados dos níveis superior e técnico deverá criar vagas de trabalho para trabalhadores qualificados a exercer funções pouco lembradas há algum tempo. É o caso de ocupações como condutores de processos robotizados, cujo número de vagas a entidade calcula que aumentará 22% – contra um crescimento médio projetado para outras ocupações industriais da ordem de 8,5% no mesmo período.

Além dos condutores de processos robotizados, as maiores taxas de crescimento do nível de ocupação deverão ocorrer entre pesquisadores de engenharia e tecnologia (aumento de 17,9%); engenheiros de controle e automação, engenheiros mecatrônicos e afins (14,2%); diretores de serviços de informática (13,8%) e operadores de máquinas de usinagem CNC (13,6%).

Divulgado hoje (12), o Mapa do Trabalho 2019-2023 mostra que, entre as áreas que mais vão demandar formação profissional estão a metalmecânica (1,6 milhão vagas), construção (1,3 milhão), logística e transporte (1,2 milhão), alimentícia (754 mil), informática (528 mil), eletroeletrônica (405 mil), energia e telecomunicações (359 mil).

O topo do ranking por área, no entanto, deverá ser liderado pelas chamadas ocupações transversais, compreendidas como aquelas cujos profissionais estão aptos a trabalhar em qualquer segmento, como pesquisadores e desenvolvimento, técnicos de controle da produção e desenhistas industriais. Neste segmento, o Senai estima a criação de 1,7 milhão de vagas nos próximos cinco anos. Técnicos de controle de produção; de planejamento e controle de produção; em eletrônica; eletricidade e eletrotécnica e em operação e monitoração de computadores estão entre as 20 ocupações transversais que mais exigirão formação entre 2019 e 2023.

A demanda por qualificação prevista inclui o aperfeiçoamento de trabalhadores que já estão empregados e, em parcela menor (22%), aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho. Essa formação inicial inclui a reposição em vagas já existentes e que se tornam disponíveis devido à aposentadoria, entre outras razões.

O Mapa ainda indica que os profissionais com formação técnica terão mais oportunidades na área de logística e transporte, que exigirá a capacitação de 495.161 trabalhadores. A metalmecânica precisará qualificar 217.703 pessoas. De acordo com especialistas responsáveis pela elaboração do estudo, a área de logística destaca-se, entre outros fatores, pela necessidade de aumentar a produtividade por meio da melhoria dos processos logísticos.

O Mapa do Trabalho Industrial é elaborado a partir de cenários sobre o comportamento da economia brasileira e dos seus setores, projetando o impacto sobre o mercado de trabalho e estimando a demanda por formação profissional com base industrial (formação inicial e continuada), e serve como parâmetro para o planejamento da oferta de cursos do Senai.

0
0
Continuar lendo
Publicidade
1USD
United States Dollar. USA
=
106,60
JPY +0,11%
4,07
BRL –0,01%
1EUR
Euro. European Union
=
117,99
JPY –0,02%
4,50
BRL –0,14%
1BTC
Bitcoin. Crypto-currency
=
1.085.355,18
JPY +0,72%
41.434,01
BRL +0,60%

Tokyo
28°
Mostly Cloudy
FriSatSun
29/24°C
30/23°C
29/23°C

São Paulo
13°
Cloudy
ThuFriSat
min 13°C
19/13°C
19/13°C

Arquivos

Facebook

Publicidade

Mais vistas da semana